Lance Notícias | 11/05/2022 09:52

11/05/2022 09:52

24565 visualizações

Você será julgado!

A palavra “julgar” tem sua origem do latim “judicare” e significa tomar uma decisão, formar um conceito, emitir uma opinião sobre algo ou alguém. É bem provável que essa palavra faça parte de seu cotidiano, porque é quase automático emitirmos opinião sobre um assunto. Além disso, a todo momento, também estamos sendo julgados pelas outras pessoas.

Se você está acima do peso, você é julgado por isso, se não está, é julgado por ser magro demais. Se você trabalha muitas horas por dia, é julgado por não aproveitar a vida, se trabalha poucas, é julgado por não ser comprometido. O fato é que independente do que você fizer, ou deixar de fazer, sempre haverá alguém julgando você.

E sabe qual é a grande lição que você pode tirar disso tudo? Que, se independente do que você fizer alguém vai te julgar, então faça o que você acredita que seja certo a fazer. Corra atrás de seu sonho, ouça a sua opinião, faça o que é melhor para você, claro, desde que isso não prejudique ninguém.

E agora você pode estar se perguntando: e o que fazer com a opinião e o julgamento dos outros? Ouça o que os outros tem a dizer e avalie se aquilo faz sentido para você, muitas vezes um “pitaco” te dá a resposta que você estava procurando. E, caso não faça sentido, simplesmente agradeça e descarte a opinião. No geral, a intenção das pessoas é boa, elas dão a opinião querendo te ajudar, leve isso sempre em consideração.

O engraçado é que assim como nós somos julgados o tempo todo, também julgamos. E a mudança pode começar por aí. Procure praticar o não-julgamento. Quantas vezes falamos que faríamos algo diferente do outro e apontamos o dedo dizendo que ele está errado? Porém, será que faríamos mesmo diferente? Será que realmente podemos julgar o outro?

Hoje quero te deixar duas reflexões: a primeira é, se vale a pena você deixar de buscar seu sonho por causa da opinião/julgamento das outras pessoas? Lembre-se, se você fizer ou deixar de fazer, sempre haverá alguém para julgar suas ações, por isso faça o que é melhor para você. E a segunda reflexão é para que você pense se você deve julgar as outras pessoas. Afinal, se você não gosta de ser julgado, por que fará isso com as outras pessoas? Gosto de pensar que toda mudança que a gente deseja ver no mundo, deve começar em nós mesmos.

Aline Bedin
Psicóloga clínica CRP 12/10514
WhatsApp: (49) 98414-6352
Redes Sociais: Instagram @psicoalinebedin

Deixe seu comentário