Lance Notícias | 28/09/2022 10:18

28/09/2022 10:18

20585 visualizações

Não estou bem. E está tudo bem!

Eu imagino que você não se sinta feliz o tempo todo. Acertei?

Eu também não me sinto feliz o tempo todo. E está tudo bem. Com o advento das redes sociais temos a impressão que o outro está sempre bem, sempre feliz e isso nos dá a impressão de que temos que ser assim também, mas não é bem assim que funciona. Vem comigo que vou te explicar.

Imagine seu cantor preferido e imagine que você está em um show dele. O que você vê no palco? Provavelmente uma apresentação impecável, o som está perfeito, as luzes são um espetáculo a parte, a energia do cantor está lá no alto, tudo está perfeito.

O que você está vendo é o palco dessa apresentação, porém você não consegue ter acesso aos bastidores do show, então você não tem como saber o que deu errado e nem como foi a preparação para esse momento. Você enxerga apenas o resultado, não enxerga o processo.

Por mais que seu ídolo esteja entregando seu máximo você não sabe como ele realmente se sente. Você não sabe se ele tem problemas familiares, ou se ele está com dor nas costas, ou se está cansado. Você vê apenas o que ele te mostra.

Nas redes sociais acontece algo parecido. As pessoas mostram seus momentos de glamour e não seus momentos de perrengue. Você pode estar vendo seu amigo com um sorriso no rosto na foto e não sabe que por trás disso ele tem um trabalho que detesta. Ou então você vê a foto de um prato lindo em um restaurante badalado, mas não vê o ovo frito que comeu a semana toda.

A lição que fica disso tudo é que todos nós temos momentos de palco e momentos de bastidor. Momentos de jantares chiques e momentos de ovo frito. A distorção acontece porque o que vemos na vida dos outros é sempre o palco e isso nos dá a impressão de que precisamos estar sempre bem, precisamos estar sempre felizes para acompanhar o mundo ao redor.

Assim como a felicidade, a tristeza também faz parte da vida, as duas são apenas momentos que vivenciamos. Os perrengues fazem parte do dia a dia (alguns dizem que não teria graça se não fosse assim), os momentos de glória também. Precisamos aprender a reconhecer e aceitar cada um desses momentos.

Lembre-se, está tudo bem não estar bem o tempo todo. Você, assim como eu, somos apenas seres humanos cheios de desafios para superar, então aprenda a respeitar a si mesmo e a seus sentimentos.

Está tudo bem não estar bem!

Aline Bedin
Psicóloga clínica CRP 12/10514
WhatsApp: (49) 98414-6352
Redes Sociais: Instagram @psicoalinebedin

Deixe seu comentário