Saúde

Lance Notícias | 29/10/2021 18:59

29/10/2021 18:59

17060 visualizações

Psicóloga destaca principais desafios enfrentados na maternidade

A vida é feita de incertezas e com a chegada da pandemia, tudo ficou ainda mais incerto. A maternidade é um dos assuntos que entrou para essa incerteza. Vou conseguir dar conta? Quando é o momento certo? A equipe do Lance Seara conversou com a psicóloga e mãe, Samara Bordignon Antunes, de 28 anos, que […]

Psicóloga destaca principais desafios enfrentados na maternidade

A vida é feita de incertezas e com a chegada da pandemia, tudo ficou ainda mais incerto.

A maternidade é um dos assuntos que entrou para essa incerteza. Vou conseguir dar conta? Quando é o momento certo?

A equipe do Lance Seara conversou com a psicóloga e mãe, Samara Bordignon Antunes, de 28 anos, que decidiu atuar na área da maternidade pois o tema lhe despertou um novo olhar quando se tornou mãe.

Segundo ela, a Pandemia pode ter interferido na decisão de muitas mulheres em se tornar mãe.

– Acredito que interfere, pois, é um momento de incertezas, medos, angustias e ansiedades que a Pandemia tem gerado em todos nós. Os fatores sociais e econômicos também têm um papel muito importante nessa escolha, por isso no meu ponto de vista, há sim, interferência, sobretudo devido ao medo do contágio de uma doença tão séria por parte da mãe e pelo seu bebê, fatos estes que acabam por vezes fazendo que casais acabem por adiar seus planos de terem um filho – explica.

Samara é mãe de Gabriel, atualmente com três anos, e a maternidade a instigou para atuar na área maternal. Seu objetivo é auxiliar outras mulheres que estão vivenciando os desafios relacionados a gestação e a maternidade.

– Meu principal objetivo é contribuir com a promoção da saúde emocional materna e facilitar para que o maior número de mulheres e famílias recebam informações e cuidados adequados – fala.

Momento certo para ser mãe

Segundo a psicóloga, a hora certa de ter um filho é relativa. Não existe um momento específico. Mas é valido ressaltar: o casal deve estar de acordo.

– Jamais tomem essa decisão por pressão dos familiares ou da sociedade, mas sim, porque sentiu que esse é o momento ideal para se dedicar a essa fase tão importante para a vida de uma mulher e da família como um todo – diz.

A psicolioga enfatiza que tornar-se mãe não ocorre como uma consequência natural da gestação e do parto, é uma construção na vida da mulher.

– Essa construção é repleta de experiências e adaptações diante de mudanças físicas e questões hormonais que aparecem nesse período. A maternidade chega com uma série de novidades, acompanhadas de muitos desafios.

É importante ter consciência das mudanças e desafios que chegam com a maternidade, que por muitas vezes, estes fatos não são observados pela sociedade ou até mesmo pelas pessoas próximas à futura mãe.

– Isso traz um risco muito grande da mãe sentir determinada emoção e ter vergonha de se expressar por achar errado estar se sentido assim – acrescenta.

A chegada de um bebê traz diversas adaptações e mudanças na rotina do casal e família envolvida. Samara acredita que um dos maiores desafios nessa fase é a amamentação, a privação do sono, os cuidados com o bebê, e possíveis comparações.

– A mãe precisa lidar com um turbilhão de novos sentimentos. O medo de não dar conta, a culpa, o cansaço, a solidão e a responsabilidade, misturados aos hormônios fazem do início dessa jornada um momento muito intenso – fala.

Idade comprovada para gerar uma vida

Segundo a psicóloga clínica, do ponto de vista da psicologia não existe uma regra de idade. Existem médicos que recomendam a gravidez entre os 20 e 35 anos.

– Esse período é considerado o cenário onde a mulher apresenta maiores chances de engravidar, visto que conforme o tempo passa, diminui a produção dos óvulos e pode dificultar a gravidez – explica.

Atualmente, com o avanço da medicina, as mulheres podem retardar a maternidade, com o auxílio de diversos métodos, como o congelamento de óvulos, e já não se preocupam tanto com os fatores fisiológicos.

Acompanhamento

Samara comenta sobre a procura pelo trabalho da psicologia perinatal, denominação dada a área da psicologia que trata da questão.

– Existem mulheres que acabam não procurando ajuda devido a uma falsa imagem de que a maternidade tem que ser perfeita, e no caso quando estão sofrendo por algum motivo relativo à maternidade, não externam tal sofrimento por culpa, ou até mesmo medo de julgamentos que venha a sofrer – finaliza.

O melhor momento é aquele escolhido pelo casal, pois com o planejamento a mulher está melhor estruturada, principalmente emocionalmente para se tornar mãe.

Deixe seu comentário