Comunidade

Lance Notícias | 06/10/2021 10:57

06/10/2021 10:57

20233 visualizações

Jovem de Seara empreende com brechó virtual e faz sucesso, em Seara

Acadêmica de nutrição, Maria Rita Martini, de 19 anos, encontrou uma forma de ajudar as pessoas. Em meio a pandemia, a jovem decidiu criar uma loja de brechó pela internet com o objetivo de vender peças de roupas com valor acessível, e doar as peças que não forem vendidas. Tudo começou por meio de uma […]

Jovem de Seara empreende com brechó virtual e faz sucesso, em Seara

Acadêmica de nutrição, Maria Rita Martini, de 19 anos, encontrou uma forma de ajudar as pessoas. Em meio a pandemia, a jovem decidiu criar uma loja de brechó pela internet com o objetivo de vender peças de roupas com valor acessível, e doar as peças que não forem vendidas.

Tudo começou por meio de uma conversa com os amigos, a jovem comentou sua ideia e foi ligeiramente incentivada pelos seus amigos. Todas as peças são de brechó e ofertadas a um valor acessível para compra.

A Equipe do Lance Seara conversou com a jovem que destaca seus objetivos.

– É um desapego de usados em bom estado, com um preço acessível e justo. Isso é bom tanto para quem quer desapegar, quanto há quem quer adquirir – diz.

Além disso, a jovem explica sobre como funciona a comercialização do brechó.

– As pessoas entram em contato comigo e combinamos os valores das peças. Levo em consideração a qualidade da roupa, então geralmente cada peça tem uma porcentagem diferente – fala.

Segundo Maria, as peças que não são vendidas após três tentativas, são indicadas para doação.

– Geralmente eu posto três vezes, na última destaco ser última oportunidade. A maior parte do que não é vendido é mandado para doação, eu tento sempre influenciar elas para doar. E são poucas as que discordam. Então as peças são destinadas a quem realmente necessita, isso muitas vezes me deixa mais feliz do que a própria venda – diz.

A jovem que iniciou no mês de maio deste ano, percebeu grande aceitação do negócio.

– O meu objetivo é justamente esse, ajudar todos os lados possíveis. Hoje penso, não é ter um nome conhecido. É fazer acontecer, vender de verdade, doar de verdade, para pessoas que compram de verdade ou necessitam de verdade – destaca.

Com apenas 19 anos, Maria ainda destaca ter se surpreendido com a ideia do brechó.

– Eu nunca imaginei que iria crescer, se espalhar, eu não tinha noção nenhuma, comecei do zero. Então pra mim era tudo novo – explica.

Maria Rita ainda traça seus planos e objetivos futuros:

– Quero manter o brechó ao máximo que eu consigo, e quem sabe um dia o repassar para alguém que cuide com carinho. Mas vou tentar ao máximo conciliar tudo, porque querendo ou não, hoje ele é extremamente importante para mim – finaliza.

Acompanhe o Instagram Brechó da Maria

Deixe seu comentário