Esporte

Lance Notícias | 01/12/2021 14:16

01/12/2021 14:16

17122 visualizações

De hobby a esporte: concordiense participa de trilhas de moto e apaixona-se pela modalidade

Muito mais que um esporte ou hobby, os motoqueiros unem a natureza, diversão e a adrenalina em um só lugar: nas longas e arriscadas trilhas. Essa é a história do jovem trilheiro e concordiense, Vinicius Pichetti, de 19 anos. Os sogros de Vinicius não têm nada a ver com os dizeres e ditados por aí, […]

De hobby a esporte: concordiense participa de trilhas de moto e apaixona-se pela modalidade

Muito mais que um esporte ou hobby, os motoqueiros unem a natureza, diversão e a adrenalina em um só lugar: nas longas e arriscadas trilhas.

Essa é a história do jovem trilheiro e concordiense, Vinicius Pichetti, de 19 anos.

Os sogros de Vinicius não têm nada a ver com os dizeres e ditados por aí, isso por que foram eles que apresentaram o esporte para o jovem.

– Sempre gostei de moto, mas conheci o mundo da trilha por meio do sogro e a sogra. A partir disso, comecei a me interessar e criar gosto pelo esporte – explica.


Primeiro evento em que Vinicius participou como trilheiro

Quando questionado sobre um possível tutorial de como é fazer trilha, se basta apenas subir na moto e acelerar, Vinicius comenta sobre importantes orientações a serem seguidas.

– Subir e acelerar vale também, mas antes, é importante ter algumas dicas de quem já tem experiência no esporte, isso ajuda muito. E claro, tem coisas que para aprender mesmo é só colocando em prática – fala.

Segundo o jovem, as trilhas são realizadas apenas pelo condutor da moto, não sendo possível levar outra pessoa junto, apenas se for para passeio.

Ainda, Vinicius comenta sobre o local de realização das trilhas, afinal, adrenalina não pode faltar, certo?!

– Nem sempre é realizada “no mato”, passamos bastante por potreiros e estradas que fazem ligação com pedaços de outras trilhas – fala.

Devido a Pandemia, o jovem ainda não conseguiu participar de muitos encontros de trilheiros, mas pretende continuar no esporte e evoluir como piloto.

– O que mais me marcou até hoje foi meu primeiro encontro, fiz a trilha toda mesmo sem muita experiência e com bastante barro além de alguns bons tombos, mas é vivendo e aprendendo sempre – conclui.

Ele mesmo diz: é vivendo que se aprende. O concordiense segue fazendo o que mais gosta, pilotando sua moto em diversos tipos de trilhas.

Confira:

Essa foi a história do trilheiro Vinicius Pichetti.
E você, tem uma história bacana ou conhece alguém que tenha?
Mande para gente! Nosso telefone WhatsApp é (49) 98876-3252.

Deixe seu comentário