Comunidade

Lance Notícias | 03/01/2022 15:34

03/01/2022 15:34

29818 visualizações

Com o compromisso de dar uma vida melhor aos filhos, casal começa a produzir peças em madeira como fonte de renda

Tânia Mello Wazlawick, de 31 anos e Anderson Wazlawick, de 38 anos, são casados há cinco anos. Antes do início da Pandemia, o casal morava em Ipumirim , mas se mudaram para Concórdia em busca de uma vida melhor, para eles e suas três filhas. — Mas com duas crianças pequenas, pagando aluguel e com […]

Com o compromisso de dar uma vida melhor aos filhos, casal começa a produzir peças em madeira como fonte de renda

Tânia Mello Wazlawick, de 31 anos e Anderson Wazlawick, de 38 anos, são casados há cinco anos.

Antes do início da Pandemia, o casal morava em Ipumirim , mas se mudaram para Concórdia em busca de uma vida melhor, para eles e suas três filhas.

— Mas com duas crianças pequenas, pagando aluguel e com as coisas em situações difíceis, começamos a vender as coisas de dentro de casa para nos mantermos — diz.

Tânia comenta que seu maior medo era deixar faltar algo para as crianças.

— Tinha dias que nós possuíamos dinheiro só pra comprar as coisas pra elas. Eu e o pai ficamos sem, mas nunca deixamos faltar nada para as nossas pequenas — ressalta.

Os dois estavam com seus empregos e conseguindo arcar com as contas, mas ainda assim, as coisas estavam difíceis. Até que Tânia descobriu que estava grávida novamente, tendo assim que parar de trabalhar.

– Mudamos de um porão para uma casa. Minha gravidez era de risco e eu precisava fazer acompanhamento na rede cegonha ficava a maioria do tempo só deitada, meu marido se virava com tudo, cuidava da casa e das meninas – fala.

Tânia relata que na época da chuva, ela e seu marido ficaram desesperados, pois dessa forma ele não conseguia trabalhar como pedreiro.

– Então foi nesse momento que eu disse para o meu marido: você já fez algumas coisas de madeira, é assim que vamos nos reerguer agora – relembra.

Em seguida o casal publicou nas redes sociais um pedido de ajuda e também que produziam qualquer tipo de peça em madeira e daí surgiu o seu primeiro pedido.

– Depois do primeiro pedido, conseguimos nos virar no primeiro mês, com aluguel água e luz.- comenta.

Sua bebê nasceu e Tânia começou a ajudar a complementar a renda, produzindo cuias decoradas com pérolas. Seu marido segue com os trabalhos com madeira, palete etc. E agora voltou a trabalhar também, como servente de pedreiro.

Questionados sobre seu maior sonho, o casal comenta que é poder ter um espaço maior pra trabalhar, pois onde trabalham agora é a sua antiga área de laser.

Caso você tenha interesse de conhecer o trabalho do casal, eles produzem tudo em peças de madeira e de palete, fazem restauração de móveis antigos montagens e desmontagens de roupeiros etc. Basta entrar em contato pelo WhatsApp (49) 9 9942-3078 ou (49) 9 9804-6696.

Deixe seu comentário