Polícia

Lance Notícias | 02/01/2022 10:10

02/01/2022 10:10

9425 visualizações

Assassinato de Roseli Stoll completa um mês e corpo ainda não foi encontrado

Após um mês do desaparecimento e morte da concordiense Roseli Stoll, de 38 anos de idade, a família segue com esperança de localizar o corpo. O ex-companheiro está preso desde a noite do dia 7, localizado em RS. Além de confessar a autoria do crime, relatou que jogou o corpo, amarrado em uma pedra, no […]

Assassinato de Roseli Stoll completa um mês e corpo ainda não foi encontrado

Após um mês do desaparecimento e morte da concordiense Roseli Stoll, de 38 anos de idade, a família segue com esperança de localizar o corpo.

O ex-companheiro está preso desde a noite do dia 7, localizado em RS. Além de confessar a autoria do crime, relatou que jogou o corpo, amarrado em uma pedra, no lago da Usina de Itá, no município de Alto Bela Vista.

Assim, iniciou-se as buscas pelo corpo da vítima. Estiveram envolvidos os Bombeiros Militares e o Grupo de Operações, Resgate e Salvamento com Cães, GORSC de Concórdia. As equipes trabalharam por 10 dias consecutivos, com embarcações, mergulhadores, equipamentos e cães, mas sem sucesso.

Com as buscas profissionais suspensas, a família de Roseli começou a procurar por conta própria com auxílio de amigos e com embarcações emprestadas, assim, eles navegam diariamente no lago e vasculham as margens, até o momento, não encontraram vestígios.

Segundo informações, o inquérito policial mostrou que no mesmo dia após o trabalho, ela entrou no carro do ex-companheiro na área central de Concórdia e os dois foram até a casa dele.

A Polícia Civil também concluiu que o ex-companheiro assassinou a vítima durante a noite, asfixiada com um cinto e que no dia seguinte colocou o corpo no carro e seguiu pela SC-390.

Ele foi preso na noite de terça-feira, dia 07, próximo a Antônio Prado, RS. Durante a abordagem tentou fugir, mas foi pego e confessou que havia matado a ex-companheira em Concórdia.

Ele foi levado ao local duas vezes para mostrar às equipes de buscas onde deixou Roseli. Cães farejadores também indicaram que o corpo pode estar no local. O motivo do assassinato, segundo a Polícia Civil, foi ciúmes. O casal estava em fase de separação e ela queria ir ao PR, visitar parentes. Isso teria motivado o crime, de acordo com a investigação.

Informações: Rádio Aliança

Deixe seu comentário