Comunidade

Lance Notícias | 18/10/2021 19:00

18/10/2021 19:00

23034 visualizações

Após perder o movimento das pernas, comunidade cria vakinha on-line e faz aquisição de cadeira motorizada para searaense

Após perder o movimento das pernas, comunidade cria vakinha on-line e faz aquisição de cadeira motorizada para searaense

Há seis anos seu Plínio Doerzbacher, de 65 anos de idade, foi acometido por uma doença chamada mielite, lesão na medula óssea provocando a paralisia das pernas.

Desde então, diversas mudanças aconteceram em sua vida.

A Equipe do Lance Seara conversou com Cleudes de Cesaro Doerzbacher, de 48 anos, esposa de Plínio, que comenta sobre a descoberta da doença e aquisição da cadeira motorizada.

Segundo ela, a ideia de aquisição da cadeira partiu uma ex-patroa do Plínio de Ipumirim.

– A ideia foi da família do seu Edeval Bringhenti, pessoas maravilhosas. Aonde seu Plínio trabalhou 14 anos como motorista de caminhão na empresa deles, há uns anos atrás – explica.

Segundo Cleudes, à esposa do seu Ederval, Dona Neiva, sempre comentou seu interesse em fazer uma vaquinha on-line para arrecadação dos valores.

Arrecadação de fundos para compra da cadeira motorizada

Lançada em abril deste ano, a vakinha on-line ficou ativa, aproximadamente, seis meses e arrecadou o total de R$15.670,00.

– Quando criamos a vakinha, a Neiva foi a primeira pessoa a depositar valores além claro de muitas outras pessoas. A igreja Evangélica Luterana no Brasil também nos ajudou promovendo um risoto, todo o dinheiro arrecadado foi destinado à compra da cadeira – destaca.

Cleudes também comenta sobre a ajuda especial recebida de Gilberto Gonçalves, popular Beto.

– Quem nos ajudou também foi o Beto Gonçalves, ele quem organizou todo o processo da vaquinha. Nunca mediu esforços para nos ajudar, é uma pessoa incrível de coração enorme – diz.

A doença chamada mielite, proporciona o comprometimento da medula óssea e, por isso, incluem paralisia muscular além de dor nas costas, fraqueza muscular, diminuição da sensibilidade e paralisia das pernas ou braços.

Independência com a nova cadeira

Plínio já possuía uma cadeira de rodas para se locomover dentro de casa, mas com a nova cadeira será mais independente.

– Com a cadeira motorizada ele vai ser mais independente, vai ter uma qualidade de vida melhor. E com certeza, a união faz a força, nós moramos em um município que as pessoas são muito solidárias – fala.

Atualmente seu Plínio faz uso de medicamentos contínuos e realiza fisioterapia três vezes por semana. Segundo a esposa, a fisioterapia é essencial.

– Em nenhum momento os médicos falaram que ele não voltaria a andar, então fica aquela esperança e Deus no comando – finaliza.

Deixe seu comentário