Comunidade

Lance Notícias | 21/11/2021 14:37

21/11/2021 14:37

27574 visualizações

Após concluir duas graduações, estudante volta ao meio acadêmico como professor

Após concluir duas graduações, estudante volta ao meio acadêmico como professor

Gerente geral no segmento de materiais de construção e transportes em uma empresa do munícipio, Técnico em Agronegócio, MBA em Finanças e Controladoria e atualmente MBA em gestão comercial e MBA em gestão pública com ênfase em cidades inteligentes, o currículo é vasto quando falamos com o professor universitário, Luan Sgarbossa, de 25 anos.

Já ouviu falar que tudo que plantamos hoje, colhemos amanhã?

Pois então, Luan começou plantar sua semente na área profissional em 2014, ao entrar na faculdade.

Segundo ele, a entrada para o ensino superior e a escolha da faculdade não é uma decisão fácil. No começo, a possível escolha gera dúvidas e insegurança de “será que é isso mesmo que eu quero?”.

– Bati o martelo e comecei cursar Administração, o curso em si é muito abrangente, ele te possibilita diversos empregos, todas as empresas e pessoas precisam de um administrador. No meu caso, tive influência, principalmente por ter uma empresa familiar, e meus pais estarem precisando de uma pessoa de confiança e com mais conhecimento para gerir os negócios – explica.

Com a conclusão do ensino superior, de 2014 até 2017, e já “tocando” os negócios da família, Luan decidiu desafiar-se mais uma vez no meio acadêmico.

– O sonho e minhas metas já estavam estipulados quando iniciei a primeira graduação. Depois disso, vi a facilidade de aproveitamento de matérias e valor muito atraente pela faculdade de Ciências Contábeis, então realizei a segunda graduação em função de alavancar e qualificar ainda mais meus conhecimentos – destaca.

Dedicando cinco anos à graduação, 2014 a 2017 em Administração e 2018 a 2019 para Ciências Contábeis, Luan ressalta que ambas as áreas são duas graduações que andam juntas e uma precisa da outra.

– No meu dia a dia eu utilizo os conhecimentos das duas áreas. Faço um pouco de tudo na empresa, estão consigo colocar muitos conhecimentos em prática. Sem ambos os aprendizados, certamente não seria possível crescer tanto profissionalmente, por isso tenho a certeza que foi muito produtiva e valeu demais – diz.

Após sair do meio acadêmico, o jovem comenta crescer profissionalmente e conseguir evoluir muito no trabalho.

O tempo passou, as lembranças da graduação e tempo na faculdade ficam apenas em fotos e lembranças, até que então: um convite inesperado.

– Recebi o convite para ser professor do curso que estudei, não estava esperando, jamais imaginei, foi uma surpresa muito boa e gratificante. Sai em 2019 como aluno e voltei em 2021 como professor – fala.

De acadêmico para professor

– Quem me convidou foi a coordenadora dos cursos de Administração e Contábeis de uma universidade de Chapecó. Ela já estava no período em que fui aluno, estava precisando de um professor a 10 dias de iniciar o semestre e lembrou de mim. Fiz uma entrevista e apresentação de uma aula para a direção da instituição e fui aprovado – enfatiza.

Segundo o atual professor, o cargo não é uma tarefa fácil, é um “baita” compromisso e ao mesmo tempo uma excelente oportunidade que precisava abraçar.

Aluno x Professor

Luan explica que ser aluno é diferente, pois saiu de uma escola pública e foi buscar um ensino superior. São novas pessoas, professores além de uma nova forma de aprender.

A maior dificuldade, segundo Luan, está associada ao transporte.

– Trabalhar o dia todo e estudar a noite e precisar ficar duas, as vezes até três horas em transporte – fala.

Como professor, os desafios são ainda maiores e ao mesmo tempo uma grande realização profissional.

– Logo conheci os alunos e identifiquei o melhor método para ensinar cada turma. Com a Pandemia, as aulas podem ser presenciais e on-line, hoje consigo organizar as aulas nas duas formas e fazer com que os alunos aprendam – ressalta.

Como Luan foi aluno, consegue ter uma noção maior do que os alunos mais gostam e menos gostam, consegue lecionar de uma forma mais dinâmica e menos cansativas.

– A grande desvantagem que eu vejo é a questão da idade, no início parece que não passa confiança para os alunos, muito em função de ser mais novo que alguns alunos meus – enfatiza.

Entre os principais objetivos futuros, está a ambição de crescer profissionalmente, tanto empresarial como professor.

– Gostei muito dessa nova experiência e pretendo seguir nesse caminho. Hoje consigo conciliar de forma tranquila ambos os empregos. De dia trabalho na empresa da família e de noite, que costumava ir para aula como aluno, hoje vou para aula, no mesmo lugar, como professor – destaca.


 

Deixe seu comentário