Comunidade

Lance Notícias | 06/12/2021 14:32

06/12/2021 14:32

24740 visualizações

Amor em dobro: mãe relata experiência de ter filhas gêmeas

Natural de Seara, Thais Regina Pansera, residiu no município durante 23 anos. Foi de aluna à professora de danças na Casa da Cultura de Seara onde ministrava aulas de sapateado americano. Ao se formar em Engenharia, mudou-se para a cidade de Itapiranga, no extremo oeste do estado, onde atua na área de engenharia de segurança […]

Amor em dobro: mãe relata experiência de ter filhas gêmeas

Natural de Seara, Thais Regina Pansera, residiu no município durante 23 anos. Foi de aluna à professora de danças na Casa da Cultura de Seara onde ministrava aulas de sapateado americano. Ao se formar em Engenharia, mudou-se para a cidade de Itapiranga, no extremo oeste do estado, onde atua na área de engenharia de segurança no trabalho, em uma agroindústria há 12 anos.

Casada, Thais e seu marido sonhavam em ter filhos e logo planejaram uma gravidez. Os dois não realizaram nenhum tipo de tratamento de fertilidade, a gravidez gemelar foi natural. E a sua reação ao descobrir que tudo havia dado certo, foi de choro e por alguns dias, um leve desespero, pois ela não imaginava como seria ser mãe de gêmeas.

Mas sua família, deu toda a base, estrutura e apoio. Seus pais hoje, são sua fonte de inspiração, sua mãe principalmente, que hoje cuida das netas enquanto Thais trabalha, com todo amor, zelo, carinho, afeto e paixão.

— Ela sem sobra de duvidas é minha fonte de inspiração quando o assunto é cuidado, educação e família — ressalta.

Thais comenta que sua gestação foi incrível, tranquila, divertida e curtida dia após dia. Deu luz às meninas na cidade de São Miguel do Oeste que fica a 75 quilômetros de Itapiranga, não por complicações, mas por seu médico ser de lá. Olívia e Maitê nasceram com 38 semanas e dois dias, com três quilos cada uma, super fortes e ativas desde o nascimento.

A vida Thais mudou completamente, hoje ela se divide entre mãe, esposa, profissional, filha, irmã e amiga, tentando sempre ser a melhor em todas as vertentes.

— Não é fácil nem tão pouco simples, para tudo fluir bem precisamos ter uma rede de apoio, isso para uma mãe gemelar é tudo na vida, alguém que ajude, de apoio, suporte braçal e emocional — destaca.

Para Thais, a experiência de ser mãe é linda, maravilhosa e não poderia ser melhor.

— Elas são minhas parceirinhas da vida, pela pouca idade que possuem já se mostram seres incríveis, cooperativas, com personalidades fortes e com um coração enorme — diz.

Thais finaliza dando um conselho para todas as mães, ou futuras mamães:

— Tenham uma boa rede de apoio junto com vocês, olhem para vocês também como mulher não só como mãe, se cuidem, se arrumem e principalmente sejam felizes pois temos os melhores tesouros que Deus poderia ter nos dado, nossos filhos — explica.

Deixe seu comentário